27 de dezembro de 2010

Vem pra Caixa você também! Vem!

Daí que eu e Marco estamos naquela busca louca-louca-louca (com Shakira dançando) pela casa dos sonhos. A casa perfeita, linda, cheirosa, de 3 quartos, cujo valor caiba em nossos castigados bolsinhos proletários, sendo prontamente aprovada pela Caixa Econômica Federal (essa caixinha marota!)

Se você, leitor romântico, acha que "Isso é lindo!", das 3 uma: ou tem grana para comprar a casa que quiser e lê meu blog para tentar manter-se conectado ao mundo dos pobres e à realidade da periferia (TIPO REGINA CASÉ), ou já tem uma casa dos sonhos e nunca precisou procurá-la ou ainda mora com sua mãe. Porque procurar a casa perfeita SENDO DURO é FODA. 

Já estive em exatas 9 casas. Dessas 9, me apaixonei perdidamente (com Fábio Jr. cantando) por 8. Sou volúvel. Sou e ponto. Não consigo formar opiniões firmes, de maneira rápida e assertiva (e nem de maneira lenta e vegetativa!). Me deixo levar pelo clima do momento, pelo humor, pela caixinha do correio em forma de passarinho, pela vizinha velhinha fazendo bolo de nozes ou pelo casal de labradores que passeava na rua no momento da visita. Quaisquer meia dúzia de palavras do proprietário ou do corretor, sejam palavras bonitas ou feias, tipo "badalhoca", (NÃO EXISTE NO MUNDO PALAVRA MAIS FEIA DO QUE BADALHOCA!) me influenciam.

Tá, beleza, então como disse estive em 9 casas, amei 8 mas..................... ainda não comprei nenhuma. (1) Porque a entrada é alta demais. (2) Ou porque as parcelas (ETERNAS DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS) do financiamento são altas demais. (3) Ou pelos dois motivos anteriormente citados acontecendo de maneira humilhante e simultânea.

Fico aqui, recalcada, tentando me convencer de que as casas eram uma bosta, dar aquela desdenhada e seguir balançando meus cabelos (mas segurando a franja, que arrepia com a umidade!), em busca do imóvel capaz de abrigar minha magnitude...mas, não. A quem estou tentando enganar? As casas são ótimas e existem. O que não existe é um saldo à altura.

Me consola????

5 de dezembro de 2010

Livin' La Vida Loca!

Após um longo e tenebroso arrastar de chinelos, ultrapassei o portal mágico das 12 semanas de gravidez! Parece que passei os últimos 3 meses no Complexo do Alemão e de repente apertei o botão da cadeira ejetora (sempre quis sentar numa dessas!) e caí no planeta dos Ursinhos Carinhosos. Salvo uns ataques de pelanca ocasionais, tudo agora é molezinha (principalmente minha bunda! OH GOSH!).  Finalmente o cheiro do notebook parou de me enjoar e consigo escovar os dentes de frente para a pia (e não mais para a privada!!!) IN-CRÍ-VEL! (Com voz de propaganda Polishop!)

Mas hein? Tô beeeeem baranga, viu? Se você me olhar vai ter a sensação de que caí, quebrei e fui colada com cola Pritt por uma criança hiperativa de 5 anos. T-u-d-o, absolutamente t-u-d-o em mim está meio torto.  Vocês, hein, seus tratantes!? Quase me enganaram com papinhos moles de "plenitude", "pele linda", "sensação de frescor", "nuvens de algodão doce", "um lugar de mato verde, pra plantar e pra colher". Sei. A-rã. 1 X 0 pra vocês! Ok!

Minha casa nunca - NUNCAAAAA - foi tão caótica, bagunçada e estranha como nos últimos 3 meses. Estranha do verbo "o que essa colher de pau está fazendo no meu criado mudo?".  Minha máquina de costura está desolé e abandoné! Ainda não tive fibra moral (vi essa expressão num filme!) para sentar e produzir algo. Até porque o "sentar" nos últimos tempos tem sido apenas a fase que antecede o "deitar", e ainda não inventaram uma máquina de costura para operar deitada (e de preferência dormindo!), mas se você é do tipo empreendedor, pode usar esse post como referência! Olha aí uma demanda de mercado sorrindo pra você! (Procure o SEBRAE mais perto de sua residência!)

Não aguento mais as pessoas me perguntando pelo sexo. Fico confusa, pô!!! Nunca sei se querem saber das minhas intimidades com Marco ou do gênero do bebê. Ainda tô me acostumando com esses papos. Sejam legais comigo.

Fraldas?? Não comprei um pacotinho sequer! Em compensação já tenho a festinha de 1 ano pronta na cabeça (para meninas e meninos!). Essa sou eu, mais sem foco do que nunca e com menos 8 kg (porque não basta passar 2 meses vomitando, tem que fazer a "bulímica vida loka"! Muah!)